Legislativo derruba regime de urgência de projeto de regência de classe

Sessão Ordinária04.06.19

Com tempo hábil para aprovação, vereadores justificaram rejeição pela conduta adotada desde o início desta legislatura

Img 1013

Com a ausência de Carlinhos de Sennes, afastado por atestado médico, os vereadores derrubaram, na sessão Ordinária da última segunda-feira(03), o Regime de Urgência do Projeto de Lei Complementar 03/2019 que altera a Lei 036 de novembro de 2003, que dispõe sobre regência de classe e hora atividade de professores contratados.

Os parlamentares entenderam que há tempo hábil para votar a matéria antes do fechamento da Folha de Pagamento do mês de junho. A presidente Queila Baretta comentou a decisão dos vereadores.

“Como foi justificado pela maioria dos vereadores, é uma matéria que não precisa ser votada às pressas. Nessa Legislatura nós decidimos por evitar o regime de urgência para podermos analisar os projetos e votar com segurança, para eliminar qualquer equívoco ou alguma pegadinha. Os professores não terão prejuízos, pois há tempo para votar e ser efetuado o pagamento referente à este mês de junho”.

O vereador Vilmar Baumgratz destacou que os professore e sindicato vão acompanhar a votação. “Esse projeto é fruto de uma luta dos professores ACT’s. Após a greve, na negociação foi acordado que o projeto seria enviado na data de hoje. Em conversa com o presidente do sindicato, foi pedido que fosse votado também em outra data, para que os professores pudessem acompanhar”.

Foram 8 votos contrários ao Regime de Urgência e 1 favorável de Marcil Pompeo.