Prefeito Municipal e Presidente do Legislativo de Abelardo Luz visitam famílias que ocupam irregularmente dependências da Escola Agrícola

Comunidade03.02.17

Na quinta-feira, 02 de fevereiro, o Prefeito de Abelardo Luz Nerci Santin, juntamente com o Presidente da Câmara de Vereadores Lucas Sernajoto, realizaram uma visita nas dependências da Escola Municipal Irineu Bornhausen.

148611358232778

Na quinta-feira, 02 de fevereiro, o Prefeito de Abelardo Luz Nerci Santin, juntamente com o Presidente da Câmara de Vereadores Lucas Sernajoto, realizaram uma visita nas dependências da Escola Municipal Irineu Bornhausen. O Prefeito buscou conhecer a real situação enfrentada pelos ocupantes do imóvel, bem como informar às ações que o município irá adotar.
Na oportunidade, Santin explicou que Abelardo Luz firmou um Termo de Ajuste de Conduta – TAC, com o Ministério Público Estadual, no qual foi acordado que o município estaria obrigado a propor todas as medidas judiciais necessárias, para a retomada do imóvel, caso houvesse novas ocupações. “É um dever nosso pedir para que eles saiam daqui, mas também devemos auxiliar e arrumar um local para as mesmas. Vamos cadastrar essas pessoas e procurar agilizar para ajudá-los”, comenta o prefeito.
De acordo Alessandro Dalarossa, um dos ocupantes do local, as famílias estão residindo nas dependências da escola há cerca de 90 dias e aguardavam a assistência da administração pública. “A maioria das famílias estão desempregadas e sem condições de pagar aluguel. Desde a antiga administração, recebemos promessas de ganhar casas ou aluguel e nada disso aconteceu. Invadimos outra terra, mas fomos despejados pela justiça, então acabamos invadindo aqui. Agora, aguardamos uma posição da administração, pois não temos para onde ir, precisamos de algum lugar, casa ou terreno, independente, mas não temos para onde ir”, comenta o morador.
O presidente do Legislativo explica que um recadastramento deve ser feito para conseguir atender todas as famílias de modo particular. “Será feito um recadastramento de todas as pessoas na Assistência Social, para que tudo seja resolvido de forma legal. Sabemos da difícil situação que eles enfrentam. Desta forma, esse cadastro vai auxiliar para melhor atendermos as necessidades de cada um. Pedimos que as pessoas desocupem o imóvel voluntariamente, buscando outro lugar para residir, evitando assim a desocupação por decisão judicial,”, explica Sernajoto.

Assessoria de Comunicação 

Informações e fotos: THamara A. Verardo