Sem água há 40 dias, famílias pedem ajuda ao Legislativo

Sessão Ordinária25.10.18

Ocupantes de área do São João Maria recorrem a vereadores por corte de água feito pela prefeitura

Img 3679

Sem projetos para serem apreciados na sessão da última segunda-feira(22), os vereadores aprovaram oito indicações. Dentre elas a Indicação 230/2018 que solicita que seja viabilizado o fornecimento de água para as famílias que ocupam a área de terra próxima ao Bairro São João Maria, bem como às famílias que estão ocupando a área do Colégio Agrícola. Representantes das 90 famílias estiveram presentes na Câmara para Acompanhar os trabalhos.

O assunto foi o tema principal da sessão, e Vilmar de Campos, um dos ocupantes daquela área, comentou a situação que adultos, jovens e crianças vêm enfrentando há aproximadamente 30 dias.

“Nós estamos pegando água na beirada de uma sanga, que é a única água que podemos beber, porque cortaram a nossa água. Nós adultos ainda nos viramos, mas lá tem criança, crianças especiais, idosos. A gente tem que ir tomar banho na casa dos outros. Água é vida. Assistência social inclusive já foi lá porque as crianças estão indo para a escola sem tomar banho”.

Vilmar também informou sobre a qualidade da água que estão consumindo.

“Essa água ali tem uma fossa que foi feita bem próxima que foi feita para jogar as fossas da cidade lá está dando infiltração para dentro da sanga. Hoje nós fizemos um vídeo lá. E é essa água que temos para tomar. Já faz uns 40 dias que vimos um trator trabalhando ali e eu acho que foi nesse momento que deve ter cortado algum cano para não ir água pra lá”.

 Em tribuna, o presidente do Legislativo de Abelardo Luz se pronunciou sobre a situação, que segundo ele já havia planejamento para atender as famílias dessa área ocupada.

“Quando assumi a prefeitura nós enfrentamos essa situação. Tínhamos projeto para aquela área e tenho certeza que se tivéssemos vencido a eleição suplementar já estaria loteado, com as ruas, com energia e com a água. Esse governo quer massacrar o povo pobre. Fizemos toda a instalação com mangueira e caixa d’agua e agora foi cortado”.

A indicação é de autoria dos vereadores Vilmar Baumgratz, Queila Barreta, Marcil Pompeo e Tiago Kosinski. Baumgratz comentou o pedido.

“Se essas famílias não podem permanecer lá, alguma solução tem que ser apresentada. O que não pode acontecer é cometer essa injustiça sobre o direito básico que é a água”.

A vereadora Queila também se manifestou sobre o tema “É inadmissível essa situação.  Ser humano pode ficar de 3 a 5 dias sem água, caso contrário escasseia a sobrevivência e fica a saúde seriamente ameaçada”.

O vereador Otílio da Camara disse que vai se inteirar da situação e conversar com o prefeito municipal sobre a condição daquelas famílias.